Setor agrícola adere protestos em favor do impeachment

3/21/2016

Caminhões paralisados em estrada; setor adere ao movimento pró-impeachment do governo Dilma.

Entidades e produtores rurais de Mato Grosso, principal Estado produtor de grãos do país, juntam-se às manifestações a favor do impeachment e contra a corrupção.

No final da tarde desta quinta-feira (17), havia manifestações em cinco trechos das rodovias BR-163 e BR-364: Rondonópolis, Cuiabá, Nova Mutum, Lucas do Rio Verde e Sorriso.

Os participantes das manifestações formavam um público bem variado, que ia de produtores rurais a caminhoneiros, passando por maçons e apoiadores da redução de tributos.

E outras manifestações virão na próxima semana. Na avaliação de entidades e produtores, há necessidade de mudanças urgentes na direção política e econômica do país.

Mas há um problema, segundo eles: o histórico dos que estão na fila para eventuais substituições dos que saem.

Endrigo Dalcin, presidente da Aprosoja (Associação dos Produtores de Soja e Milho de Mato Grosso), diz que é necessária a mudança do governo porque "não existe a possibilidade de reversão da situação atual". As coisas pioram na política e complicam ainda mais a economia, segundo ele.

O agronegócio já começa a ser afetado por essa instabilidade. Dalcin elenca dificuldades de crédito, custos elevados de produção e incertezas do câmbio entre os principias problemas no campo.
"As indecisões políticas levam às incertezas econômicas. Todo esse governo precisa ser trocado", diz ele.

Please reload