IMPORTAÇÕES DE MILHO

8/9/2016

 

O Brasil deverá importar 1,5 milhão de toneladas de milho no ano comercial entre fevereiro de 2016 e janeiro de 2017, sendo que 800 mil toneladas já foram desembarcadas ou aparecem nas escalas de navios até o fim de agosto, projetou o consultor.

Anteriormente, a consultoria chegou a prever importações de cerca de 2,5 milhões de toneladas em 2016. A mudança na projeção ocorre com parte das exportações contratadas anterioremente sendo redirecionada ao mercado interno, com preços mais interessantes.

Segundo ele, a maior parte dos volumes importados virá, como é habitual, da Argentina e do Paraguai.

As importações dos Estados Unidos, que estão na mira do governo brasileiro e de indústrias de aves e suínos, ainda serão pouco relevantes, o governo ainda busca a aprovação de variedades transgênicas dos EUA para dar mais segurança aos importadores.

Até meados de 2017, a oferta de milho no mercado interno continuará apertada, após uma segunda safra prejudicada pelo clima em 2015/16 e uma colheita de verão em 2016/17 que será insuficiente para atender toda a demanda, avaliou.

Segundo Pessôa, o mercado brasileiro de milho está sendo balizado atualmente pela paridade com a importação, o que aponta um desequilíbrio no setor.

"Vai ser assim até a próxima 'safrinha', quando o mercado vai voltar a ser regulado pela paridade de exportação", projetou. "A safra de verão não será capaz de regular o mercado."

O Brasil é um dos maiores exportadores globais de milho, mas os negócios agora estão lentos de maneira geral, com comerciantes redirecionando vendas para o mercado interno. (Reuters 09/08/2016)

Please reload

This site was designed with the
.com
website builder. Create your website today.
Start Now