Resumo do mercado de açúcar em agosto de 2016

9/16/2016

 

Déficit global e preços: As perspectivas de déficit global e de maior demanda externa sustentaram os altos patamares de preços do açúcar cristal no mercado doméstico em agosto, mesmo com o menor volume negociado no spot.

Indicador Cepea/Esalq: O Indicador do Açúcar Cristal Cepea/Esalq (estado de São Paulo) teve média de R$ 85,89/saca de 50 kg no mês, 0,89% inferior à de julho (R$ 86,65/sc), mas expressivos 83,11% maior, em termos nominais, que a do mesmo período do ano passado, de R$ 46,90/sc.

Indicador Esalq/BVMF: Para o Indicador de Açúcar Cristal Esalq/BVMF - Santos, a média mensal foi de R$ 85,06/sc, 0,66% menor que a de julho (R$ 85,63/sc), mas 75,23% acima da de ago/15 (R$ 48,54/sc), também em termos nominais.

Andamento da safra 2016/17: Na parcial da safra 2016/17 (entre 1º de abril e 16 de agosto), foram moídas 355,34 milhões de toneladas de cana-de-açúcar na região Centro-Sul, aumento de 10,1% em relação ao mesmo intervalo da temporada passada, de acordo com dados da União da Indústria da Cana de Açúcar (Unica). A produção de açúcar avançou 22% no período e a de etanol, 4,1%. Em São Paulo, especificamente, a moagem cresceu 11,8%, totalizando 212,85 milhões de toneladas. A produção de açúcar subiu 20,2% no período e a de etanol, apenas 3,4%.

Projeção para safra 2016/17: Segundo o último relatório da Conab (Companhia Nacional de Abastecimento), a produção total de cana deve atingir 684,7 milhões de toneladas na temporada 2016/17, o que representaria uma alta de 2,9% frente à safra anterior. A produção de açúcar é estimada em 39,96 milhões de toneladas, 19,3% superior à da temporada 2015/16. Usinas estão dando preferência à commodity, diante dos preços mais altos.

Nordeste: No Nordeste, as negociações seguiram em ritmo lento em agosto, em especial no final do mês. A maior parte das usinas deve voltar às atividades em setembro, ainda que algumas já tenham retomado a moagem. Compradores têm aguardado maior oferta, adquirindo o produto de forma pontual no correr de agosto. Segundo a Conab, a região nordestina deve aumentar a produtividade e a área colhida na safra. Dados da Datagro apontam uma produção de 53,5 milhões de toneladas, aumento de 9,2% em relação à da temporada anterior.

Alagoas, Pernambuco e Paraíba: Em agosto, o Indicador Mensal do Açúcar Cristal Cepea/Esalq em Alagoas foi de R$ 96,91/sc de 50 kg, queda de 1,07% frente a julho, mas forte alta de 60,74% em relação a agosto/15. Em Pernambuco, não houve Indicador em agosto/2016, visto que o número de informações sobre negócios efetivados foi insuficiente para compor a média para o período. Na Paraíba, o Indicador Mensal de Açúcar Cristal Cepea/Esalq foi de R$ 76,78/sc, 0,49% inferior ao de julho/16. Em março/16, este Indicador passou a ser divulgado sem ICMS (até fevereiro/16, incluía valores com 12% ou 18% de ICMS, dependendo do destino do açúcar), a pedido do Sindálcool - PB.

Grandes produtores mundiais: No mercado externo, problemas em importantes países produtores, como China, Índia, Tailândia e União Europeia, reduziram a oferta mundial de açúcar. Esse cenário, inclusive, vem abrindo ainda mais espaço para a commodity brasileira. A média do contrato nº 11 do demerara (vencimento Outubro/16) em agosto foi de 20,1 centavos de dólar por libra-peso na bolsa de Nova York (ICE Futures), aumento de 1,65% em relação a julho (19,69 centavos de dólar por libra-peso).

Vendas internas: Cálculos do Cepea indicaram que as vendas internas do açúcar remuneraram, em média, 6,37% mais que as externas em agosto. Esse cálculo considera o valor médio do Indicador Cepea/Esalq e do vencimento Outubro/16 do Contrato nº 11 da Bolsa de Nova York (ICE Futures), prêmio de qualidade estimado em US$ 87,62/tonelada e custos com elevação e frete de US$ 60,67/t.

Volumes exportados: Segundo a Secex, as exportações de açúcar bruto (VHP) totalizaram 2,23 milhões de toneladas em agosto, volume 9% menor que o de julho (2,45 milhões de toneladas), mas 51% superior ao de ago/15 (1,48 milhão de toneladas). Em relação ao açúcar branco, foram exportadas 736,1 mil toneladas, volume 60,3% superior ao de julho (459,1 mil toneladas) e 119,6% maior que o de ago/15 (335,2 mil toneladas).

Preços para exportação: O preço médio do açúcar bruto exportado em agosto foi de R$ 1.183,3/t, alta de 2,5% em relação a julho (R$ 1.153,9/t) e de 14,1% em comparação com ago/15 (R$ 1.037,2/t). Para o açúcar branco, o preço médio foi de R$ 1.341,6/t, baixa de 5,8% em relação a julho (R$ 1.424,6/t), mas aumento de 15,7% em comparação com agosto/15 (R$1.159,3/t). A receita obtida com os embarques de açúcar somou R$ 3,62 bilhões em agosto, alta de 4% frente a julho (R$ 3,48 bilhões) e de 89% em relação a ago/15 (R$ 1,92 bilhão). (Cepea / Esalq 16/09/2016)

Please reload

This site was designed with the
.com
website builder. Create your website today.
Start Now