Perdas na laranja da Flórida: Relatório do furacão Irma por Citrus Industry

9/15/2017

 

À medida que o furacão Irma atravessou a Flórida nos dias 10 e 11 de setembro, todas as regiões cítricas do estado foram afetadas em algum grau. Tacy Callies da revista Citrus Industry e Ernie Neff falaram com os executivos da indústria da indústria cítrica do estado e receberam os primeiros relatórios iniciais de danos:

Florida Citrus Mutual
Mike Sparks (Vice-presidente e diretor executivo)

“Não há dúvida de que causaram sérios danos. A quantidade de perda varia substancialmente nas várias regiões cítricas. Na região do sudoeste da Flórida, as perdas de safra foram relatadas de 50 a 75 por cento. Todas as outras regiões relataram perdas nos pomares de 35 a 50 por cento. Poucas perdas de árvores foram relatadas. É muito cedo para estimar uma perda em todo o setor. A Florida Citrus Mutual tem conversado com as autoridades federais e estaduais para obter assistência nesta perda devastadora".

Gulf Citrus Growers Association
Ron Hamel (Vice-presidente executivo).

“Tem sido difícil contatar aos produtores da região após o furacão Irma devido falta de energia. As pessoas estão ocupadas avaliando os danos de seus pomares e tentando drenar água parada. Nos condados de Collier e Hendry os pomares receberam uma grande quantidade de vento e chuva. Há um pouco de fruta no chão. As maiorias das árvores estão bem. Muitas folhas foram perdidas, mas a maioria das arvores ainda permanecem no chão. Quando o furacão Wilma bateu aqui, Wilma tombou muitas árvores ... não estamos vendo isso (com o Irma). Surpresa foi a perda de frutas de Valência. Havia um monte de Valências de tamanho grande que atingiu o chão. Era algo que eu não imaginava, mas é a realidade. O agente de extensão Mongi Zekri disse que quase toda fruta está no chão em Lehigh Acres, e que ele nunca viu nada parecido. Com base no que está ouvindo até agora, a estimativa inicial é de que os produtores da Flórida provavelmente perderam metade da cultura de citros em todo o estado”.

Highlands County Citrus Growers Association 
Ray Royce (Diretor executive).

Estimativas preliminares são de que metade a dois terços da safra está no chão em nossa área. Não vi nenhuma laranjeira no chão. No entanto, há muita fruta no chão. Os produtores têm compartilhado isso. Algumas árvores na área de Lake Placid não parecem tão ruins, mas havia muita fruta no chão. O furacão Irma soprou duro por oito a 10 horas na área. No condado de Highlands, o olho do furacão passou apenas a oeste. A tempestade deixou para trás inundações em áreas baixas, com algumas estradas locais sem acesso, e quase 100 por cento dos clientes ficaram sem energia. Os esforços imediatos dos produtores após a tempestade se concentram em tirar árvores de casas e carros e ajudar os vizinhos. Muitos trouxeram seu equipamento para ajudar os bairros a limpar as estradas. Desde a tempestade, contatei com o escritório do deputado Tom Rooney e com a Agência de Serviço Agrícola (FSA). A esperança é que a FSA se mova rapidamente para uma declaração de desastre de emergência. Obviamente, levará alguns dias e semanas para descobrir se a FSA ou outras agências federais ou estatais poderão ajudar e de que maneira”.

Indian River Citrus League 
Doug Bournique (Vice-presidente executive).

“A área de Indian River na costa leste aparentemente foi a menos afetada de todas as regiões citrícolas da Flórida atingidas pelo furacão Irma. Um máximo de 20% da safra da região foi perdida. Muitas áreas ainda permanecem muito úmidas para se ter uma avaliação dos danos. Com certeza é melhor do que pensávamos que íamos ver. A tempestade ficou muito mais para o oeste. Na área de Indian River havia rajadas de cerca de 80 milhas por hora de máximo. Os quebra-vento, que os citricultores plantaram anos atrás para reduzir a propagação do cancro cítrico, ajudaram a reduzir a velocidade do vento de Irma”.

Peace River Valley Citrus Growers Association
Steve Smith (Diretor executivo).

“Recebo relatórios sobre o dano do furacão Irma dos produtores da área. Alguns produtores estão ligando com danos limitados com poucas frutas no chão, e outros estão dizendo grandes danos e árvores tombadas nas bordas externas - algumas até 50 por cento das laranjas no chão. Agora, as pessoas estão tentando dar uma volta em todos os seus pomares para obter algumas avaliações mais amplas. Eles estão tentando ver onde precisam priorizar e depois voltar e obter contagens mais precisas. Tanto o vento como a chuva causaram problemas para os produtores. Há algumas inundações bastante graves em torno de Joshua Creek. Muitos dos riachos estão transbordando. Esse é provavelmente um dos maiores problemas no momento. A área estava muito molhada logo antes do furacão, então Irma agravou mais. Quanto aos efeitos do vento há mais frutas no chão do que problemas com as árvores. Existem algumas árvores tombadas, especialmente as mais antigas nas ruas externas. As árvores mais jovens definitivamente se mostraram um pouco melhores do que as árvores maiores e mais velhas. É frustrante. Sentíamos animados com uma possível colheita melhor, e de repente veio tudo isso. Afetou praticamente todas as áreas do cinturão cítrico, mas vamos lutar, assim como fazemos sempre”.

Tags:

 

  • Citrus

Fonte: Citrus Industry This Week/GCONCI

Please reload