MERCADO E QUALIDADE DA MATÉRIA-PRIMA FAZEM USINAS PRIORIZAR AÇÚCAR

7/13/2020

 

As condições atuais do mercado e a melhoria da qualidade da matéria-prima têm favorecido a produção de açúcar no ciclo 2020/2021, iniciado em abril. A avaliação foi feita pela União da Indústria de Cana-de-açúcar (Unica), que representa as usinas da região Centro-sul do Brasil. A entidade divulgou, nesta quinta-feira (9/7), novo relatório quinzenal de acompanhamento de safra.

O cenário de menor demanda por combustíveis trazido pela pandemia de coronavírus impactou o mercado de etanol. Desde o início da safra, o volume comercializado do combustível caiu 22,71% em comparação com o mesmo período no ano passado, somando 6,37 bilhões de litros. Desse total, 493,33 milhões de litros foram exportados (+32,47%) e 5,88 bilhões destinados ao mercado interno (-25,26%).

Ao mesmo tempo, as vendas de açúcar se mantiveram aquecidas. De acordo com a Unica, a comercialização no mercado interno foi de 2,22 milhões de toneladas, aumento de 7,13% em relação ao mesmo período no ano passado. As exportações aumentaram 67,22% na mesma comparação, de 3,85 milhões para 6,44 milhões de toneladas de um ano para outro.

"O aumento nas vendas de açúcar e a menor demanda por etanol explicam a dinâmica de produção observada até o momento. No mercado interno, o avanço das vendas de açúcar pode estar associado à maior transferência do produto fabricado no Centro-Sul para outras regiões do país", analisa o diretor técnico da Unica, Antônio de Pádua Rodrigues, de acordo com o divulgado pela entidade.

De toda a cana processada do início da temporada até a segunda quinzena de junho, 46,42% foram direcionados para a commodity. No mesmo período no ano passado, essa proporção estava em 34,66%.

No acumulado dos três primeiros meses da safra atual (abril, maio e junho), as usinas fabricaram 13,297 milhões de toneladas de açúcar, 48,75% a mais que o registrado no mesmo período no ano passado, quando o volume foi de 8,940 milhões de toneladas. Já a produção de etanol totalizou 10,001 bilhões de litros, entre anidro (2,825 bilhões) e hidratado (7,126 bilhões), queda de 6,61% na mesma comparação.

"Além das condições de mercado, a melhor qualidade da matéria-prima tem favorecido a produção de açúcar. Com aproximadamente 40% da safra realizada até o momento, se observou um aumento de 4,35 milhões de toneladas na produção de açúcar. Desse montante, 657 mil toneladas de açúcar resultaram do aumento da moagem e o restante, 3,70 milhões de toneladas, é fruto da alteração do mix de produção, que permitiu o crescimento na produção", diz Rodrigues.

As unidades produtoras do Centro-Sul moeram, até o final de junho, 229,396 milhões de toneladas de cana-de-açúcar referente ao ciclo 2020/2021, um volume 5,2% maior que o registrado no mesmo período na safra 2019/2020 (218,054 milhões de toneladas). Os Açúcares Totais Recuperáveis (ATR) por tonelada de cana, que indicam a qualidade da matéria-prima, aumentaram 5,58%, de 124,13 para 131,06 quilos.

Quinzena

Nos últimos 15 dias do mês de junho, a União da Indústria de Cana-de-açúcar (Unica) registrou a moagem de 42,93 milhões de toneladas, queda de 7,73% em comparação com o mesmo período no ano passado, quando foram processados 46,53 milhões de toneladas. A entidade atribui o ritmo menor a "fatores climáticos", mas ressalta que a melhora da qualidade da matéria-prima compensou a redução no volume.

"A qualidade da matéria-prima processada na segunda quinzena de junho aumentou 4,46%, atingindo 140,66 kg por tonelada de cana-de-açúcar em 2020 contra 134,65 kg verificados na mesma quinzena do último ano. Essa melhora na qualidade compensou parcialmente a redução de moagem na quinzena. Assim, a quantidade total de produtos fabricados nos últimos 15 dias de junho apresentou retração de apenas 3,61%", diz a Unica, no relatório.

Conforme a entidade, 258 usinas estão em produção na atual safra. Desse total, sete entraram em operação na segunda quinzena de junho. A expectativa é de que outras cinco comecem a operar nos primeiros 15 dias deste mês.

 

Fonte: Globo Rural

Please reload